‘Foi um ato de amor’, diz Larissa Manoela sobre doar cadela adotada

Apaixonada por animais, a atriz Larissa Manoela está no centro de uma polêmica envolvendo uma cadela. A vira-lata Vitória Regina, adotada por ela do Instituto Luisa Mell, foi recentemente doada a uma amiga.

A atriz foi alvo de comentários negativos nas redes e enfrentou críticas também de Luisa. “Sinto que alguém que inspira tanta gente, que batalhou tanto na vida trabalhando desde cedo para chegar aonde chegou, dê esse exemplo quando se trata de uma vida. Adotar um cãozinho deve ser sempre um ato de amor. Uma vida não pode ser tratada como um objeto. Cães, gatos e outros animais criam laços de amor, se apegam e se acostumam com o ambiente em que vivem. Vitoria já tinha uma história de abandono, de negligência antes da adoção. Passou anos com a Larissa e agora, terá que recomeçar. Estou com o coração em pedaços”, escreveu a ativista nesta quarta-feira (2).

Diante da repercussão, a atriz usou o Story, do Instagram, para se explicar. Ela nega que tenha abandonado a cadela, diz que sempre tem notícias dela e afirma ter outros vira-latas e não fazer distinção entre eles e os de raça.

Segundo a atriz, Vitória não se adaptou com sua ausência em decorrência do trabalho, estava triste, não comia direito e brigava com os outros animais. Por isso, foi entregue à amiga Roberta Gasparini.

“Foi um ato de amor”, afirmou. Larissa afirma que a cadela recebe atenção e amor e que está “muito feliz com suas duas mamães”.

Para mostrar os cuidados, a atriz divulgou o endereço do Instagram criado para mostrar o desenvolvimento de Vitória. “Eu tenho duas mamães”, diz o perfil. Na página, a cadela aparece com a família, em passeios, dormindo na cama. A atriz também mostrou a conta dos seus doguinhos –segundo o perfil, que inclui Vitória Regina, são 12 animais.

Larissa Manoela fala sobre a Vitória Regina (@larissamanoela no Instagram)

Falta de tempo para cuidar do pet, porte e temperamento estão entre as justificativas. De acordo com protetores, o animal rejeitado pode ficar deprimido e até evitar o toque.

Neste ano, caso envolvendo Cláudia Ohana chamou a atenção. Os dois cães adotados em dezembro de 2019, aos dois meses, cresceram rápido e foram entregues cinco meses depois. A atriz disse que deixou os cães na ONG porque, em meio à pandemia, não tinha condições de cuidar deles sozinha, sofria com crises de coluna, mas sentia falta dos animais e que o afastamento seria temporário. O Projeto Toca do Bicho, no entanto, rebateu as declarações e decidiu que não devolveria os animais a ela.

Deixe uma resposta

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies
error: O conteúdo está protegido !!