Cachorro doa sangue? Pets também podem ajudar a salvar vidas

Cães e gatos também podem precisar de transfusão de sangue, assim como humanos. Por isso, a doação é tão importante para salvar vidas.

Para chamar a atenção sobre esse gesto de solidariedade, o Dia Nacional do Doador de Sangue é lembrado em 25 de novembro. Já o Dia Mundial do Doador de Sangue ocorre em 14 de junho.

Feita em local seguro e da maneira correta, a coleta é rápida e o pet não sente dor além da picadinha –e sai com exames de saúde gratuitos, como o hemograma. Mas o ideal é que o tutor escolha laboratório perto de casa, para evitar estresse do bichinho.

Podem precisar transfusão animais com tumores, anemias ou que sofreram acidente e perderam muito sangue. Apesar de não haver riscos para o doador, o receptor pode sofrer reações. Por isso, deve ser feito teste de compatibilidade, e o veterinário deve monitorar o animal, caso seja necessária alguma intervenção.

Cães e gatos podem doar, mas há algumas regras. O cão precisa ser saudável -–cadelas não podem estar grávidas–, deve estar com o calendário de vacinação em dia, vermifugado, ter no mínimo 25 kg e idade entre um e oito anos. Ser dócil e paciente também são requisitos. Para os gatos, é necessário ter mais de 4 kg.

Assim como acontece com os humanos, o sangue doado é estocado em uma bolsa. A validade do armazenamento depende do hemocomponentes retirados.

Uma bolsa de sangue de cachorro pode ajudar até três vidas, e uma bolsa de doação para gatos salva até duas vidas.

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária, o tempo mínimo recomendado entre doações para um mesmo animal é de dois meses.

DOE AMOR

A Special Dog Company, indústria de alimentos para cães e gatos, realiza neste mês de novembro uma campanha especial vinculada ao programa Doe Amor. Criado pela empresa há três anos, o programa busca a conscientização dos tutores para a importância da doação de sangue pet e tem parceria com cerca de 45 postos de coleta nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Segundo a empresa, a média mensal é de 250 doações no Hemovet –200 cães e 50 gatos. Para atender a demanda, seria necessário o dobro dessa quantidade.

“Queremos atrair mais doadores e, também, aumentar a frequência de quem já doa. Muitas vezes, as pessoas só descobrem que animais podem doar sangue depois que eles precisam: por atropelamento, doença do carrapato, anemia, leucemia, tumor. Alguns doentes crônicos podem precisar de transfusões recorrentes”, diz Wanderson Oliveira, gestor da Universidade Special Dog Company. Consulte aqui onde doar.

(Imagem: Adobe Stock)

Deixe uma resposta

error: O conteúdo está protegido !!