O que fazer e o que não fazer se seu pet engasgar

Cães são curiosos e rápidos, especialmente quando percebem um alimento ou objeto diferente pela casa. O problema é que ele pode engolir o que não deve, e engasgos colocam a vida do pet em perigo.

O risco depende do material ingerido e do nível de obstrução, que pode levar o animal a um atendimento de emergência.

Pedaços de brinquedos, meias, chupetas, agulhas, pedras, caroços de frutas e ossos estão entre causas do problema.

Por isso, a recomendação é evitar deixar ao alcance do pet qualquer alimento ou objeto que possa atrair sua curiosidade. “Para quem tem criança pequena em casa, os cuidados devem ser redobrados”, afirma a veterinária Kelli Nicida, coordenadora do Centro Veterinário Seres, da Petz.

Segundo ela, animais mais jovens costumam ser mais curiosos, mas acidentes também podem afetar, especialmente, os ansiosos e hiperativos. “Alguns problemas de saúde podem induzir o pet a ter fome exagerada e impulso de engolir de tudo, e isso também é motivo de atenção.”

*

Como o tutor pode identificar que o pet está engasgado? Os engasgos costumam deixar o pet bastante inquieto e aflito. Eles podem apresentar mímica de vômito, vômito, salivação excessiva e movimento de tentar “limpar” a boca com as patas. Isso tudo pode indicar que seu cão está engasgado. Caso ele aparente ter dificuldade de respirar ou a língua roxa —lembrando que algumas raças já possuem essa característica— é imprescindível buscar ajuda veterinária imediatamente.

Como o tutor deve agir caso perceba que o animal está engasgado? Nesses casos é importante realizar uma avaliação com o veterinário, mas enquanto isso não ocorre o tutor pode verificar se há algum objeto obstruindo a boca ou a garganta e tentar remover com uma pinça —lembrando que se for algo mais perfurocortante, como ossos, agulha ou vidro, essa movimentação leva a machucados que podem agravar a situação.

O que não fazer em caso de engasgos? Não tente dar leite nem fazer o pet comer algo para “desentalar”, pois, até descobrir a causa, isso pode ser prejudicial e piorar o problema.

Como prevenir? Esteja sempre atento ao comportamento do seu pet e procure não deixar objetos pequenos —que possam ser engolidos— à disposição. Deixe a lixeira em locais altos ou remova imediatamente os restos de alimentos que são atrativos, mas perigosos, como restos de frango e carnes com ossos e peixes com espinho. Ao oferecer frutas, remova o caroço antes de disponibilizar ao pet.

(Ilustração: Catarina Pignato/Folhapress)

*

*

Siga o Bom Pra Cachorro no Facebook, no Instagram ou no Twitter.

Quer ver a história do seu pet publicada ou quer sugerir reportagem? Mande para bompracachorroblog@gmail.com  ou marque no Instagram

//platform.twitter.com/widgets.jshttps://platform.instagram.com/en_US/embeds.js

Deixe uma resposta

error: O conteúdo está protegido !!