Petz cria licença PETernidade e dá folga a funcionário que adotar animal

A chegada de um animal de estimação é sempre motivo de alegria, mas tanto o peludo como o tutor precisam de um tempo para fortalecer conexões e se adaptar à nova rotina. Para ajudar nesse processo, a Petz decidiu criar a Licença PETernidade, folga de dois dias para funcionários se dedicarem ao novo integrante da família.

“Garantir a adaptação adequada com a chegada de um pet é zelar pela qualidade de vida deles e um compromisso com o bem-estar físico, mental e emocional dos bichinhos”, afirma a empresa.

Segundo a rede, conversas com especialistas em comportamento animal apontaram que dois dias representam o tempo mínimo para esse ajuste.

Enquanto o bichinho precisa reconhecer o ambiente e se acostumar com as pessoas, o tutor tem o desafio de ensinar as regras da casa. Além disso, deve se preocupar com a segurança e rever as condições do imóvel, como checar telas nas janelas ou a disposição de móveis ou objetos para que o pet não se machuque.

Criar rotinas e investir em enriquecimento ambiental ajudam cães e gatos nos novos lares, diz a veterinária Valéria Correa, diretora técnica da Petz e do Centro Veterinário Seres. “Parte dos comportamentos indesejados dos pets são consequência de ambientes inadequados para acolher seus instintos. Essas situações podem ser evitadas ou minimizadas com ações simples, como a adoção de rotinas e a prática do enriquecimento ambiental, com adaptações do ambiente doméstico que estimulem experiências semelhantes às existentes na natureza, conforme as necessidades e comportamentos de cada espécie.”

O benefício vale para os mais de 5.300 colaboradores das 139 unidades da rede de pet shop e do Centro Veterinário Seres em todo o país. Assim, o funcionário que planeja ter um peludo em casa deve procurar seu gestor com cinco dias de antecedência e, depois, apresentar documento que comprove a ação. Isso, diz a empresa, para alertar sobre a importância da adoção responsável.

Fernanda Fernandes, diretora de RH da rede, afirma que o bem-estar do animal reflete positivamente nos colaboradores. “Diferentemente de uma folga ou um prêmio, esses dias de ausência no trabalho vão possibilitar que o novo tutor se dedique à chegada do pet com o foco e o cuidado merecidos”, diz.

*

Siga o Bom Pra Cachorro no Facebook, no Instagram ou no Twitter.

Quer ver a história do seu pet publicada ou quer sugerir reportagem? Mande para bompracachorroblog@gmail.com  ou marque no Instagram

//platform.twitter.com/widgets.jshttps://platform.instagram.com/en_US/embeds.js

Deixe uma resposta

error: O conteúdo está protegido !!